Sobre Inveja e Inspiração!

Agrada-me a compreensão da Comunicação Não-Violenta de Marshall Rosenberg: a força que move as ações humanas vem das emoções e sentimentos que brotam da busca de satisfação de necessidades universais. Nossos sentimentos e emoções são, portanto, preciosas pistas. Se as seguirmos, podem nos levar ao cerne que impulsiona a realização humana: a identificação de nossas…

Existe um tesouro ao final do Arco-Íris?

Percebeste que o belo Arco-Íris tem sido usado como símbolo da colorida diversidade que constitui a humanidade? Ao mesmo tempo, sua beleza nos remete ao significado de renovação e esperança depois dos “temporais”, como na canção “À Flor do Arco-Íris”, de Rubens Nogueira e Consuelo de Paula. Lembro que na mitologia irlandesa existe uma lenda…

Transitando de 2017 para 2018…

Necessitamos demarcar o tempo, desde sempre, para nos orientar na reorganização contínua da relação conosco e com o Todo no qual estamos vinculados. Nossos calendários, com esse fim, são construções à partir da observação dos ciclos da Natureza. A passagem de um ano para outro é um ritual de abertura e fechamento de ciclo, com…

SER ÁRVORE SIGNIFICA VIVER EM CONEXÃO PLENA COM TUDO

Como nascer, crescer e viver na Terra e não adorar árvores? Como ter consciência de receber delas tanto Amor, de múltiplas formas, o tempo todo, há milênios e não considerá-las como simples e silenciosas mestras de Amar? Seres gregários como nós, árvores vivem por longo tempo na floresta, onde se realizam como seres arbóreos. Mesmo…

QUESTIONANDO RÓTULOS, DESPERTANDO POSSIBILIDADES

Um humano não  É  “médico”, “sacerdote”, “pedreiro”, “policial”, “réu”, “pastor”, “psicólogo”, “professor”, “mãe”, “pai”, “filho mais velho”, “caçula”, “empregada doméstica”, “mestre”, “doutor”, “gestor”, “subalterno”, “de direita”, “de esquerda” … Esses e muitos outros,  são apenas rótulos que cada um de nós coleciona e com os quais fomos classificados e aprendemos a nos classificar (vice-e-versa-e-versa-e-vice),  para nos…

Grupo Ubuntu e sua re-edição em 2017

  Em 04.12.2014 precisávamos escolher um nome para chamar nosso coletivo de trabalho, que já funcionava desde 2011,  na organização de eventos de Danças Circulares em Belém do Pará. Queríamos um nome que nos inspirasse na aprendizagem do trabalho coletivo. Foi quando escolhemos nos chamar Grupo Ubuntu. Nenhum nome mais adequado. Ubuntu nas línguas zulu…

Falando de Amar!

  Sonhamos amar e ser amados. Quando encontramos um par com quem, imaginamos, é possível satisfazer este sonho, o que fazer para cultivar precioso laço? A primeira e fundamental sugestão é para que cada parceiro cuide bem de si próprio. Busque sua realização humana, dando conta de suas necessidades e de seus sonhos. É precioso…

Roda de conversa sobre Comunicação Não-Violenta

Candidate-se a uma vaga clicando aqui. A Comunicação Não-Violenta não se aprende somente em sala de aula, em Workshop, com leituras ou vídeos. O aprendizado é artesanal – ou seja, é tecido nos contatos do dia-a-dia das nossas vidas pessoais, interpessoais e sociais, na companhia e na prática. Assim cada evento como este têm apenas o…

ALTRUÍSMO NAS CRIANÇAS

Que é altruísmo? A palavra é derivada do latim. Alter significa outro. O filósofo Thomas Nagel define altruísmo como “uma inclinação para agirmos considerando as necessidades de outras pessoas, com ausência de segundas intenções.” Sthefen Post se refere a um prazer desinteressado produzido pelo desejo de bem estar do outro, associado a atos – cuidados…

SOBRE EMPATIA, PIEDADE, COMPAIXÃO.

(Síntese a partir da leitura do livro A Revolução do Altruísmo, Mathieu Ricard, Palas Athena, 2016.) Empatia: Singer e Vignemont a definem como um estado afetivo semelhante (isomorfo) ao estado afetivo do outro, desencadeado pela observação ou imaginação do estado afetivo do outro e que implica a tomada de consciência de que é o outro…

Árvores: expressão de amor mais abundante da Terra – de mãe para filho

Se você reparar bem, filho, a expressão mais abundante de amor que existe na Terra é uma árvore. Uma mulher me contou isso deslizando unhas vermelhas pelos cabelos que eram riachos coloridos. Ela tinha uma fala macia, firme e distraída. Suas palavras pareciam dádivas, obviedades mágicas trazidas pela chuva que se espalhava do outro lado…